sábado, 17 de julho de 2021

[Meus dois centavos sobre...] Somos cringe mesmo ou o que?

Olha a dama teimosa aqui de novo esperando que vocês, de novo, tenham paciência comigo por não ter cumprido a promessa feita há exatos 31 dias: postar pelo menos três vezes na semana.
Mas eu de novo não estou conseguindo porque a inspiração até mesmo para os meus escritos anda longe do aceitável e tem tanta coisa acontecendo que nem sei por onde ou como começar a comentar.
Ou melhor, eu não sabia. Até pensar sobre uma perguntinha que anda correndo os quatro cantos da internet, tudo porque não param mais de falar disso e honestamente, eu cansei de ouvir isso antes mesmo de esfriar porque paciência nunca foi minha característica mais marcante.
Então…
O que é cringe?
É um termo cunhado por alguns usuários de internet que significa “vergonhoso” em inglês e usado por um pessoal que se acha cool por conta de sua moda, gostos e costumes, mas, na realidade, são é um coo. Uma gente que parece não ter nada melhor a fazer com a própria vida, por isso resolvendo dar seus pitacos na dos outros.
Bem, hora de uma dama teimosa dar o seu pitaco nesse assunto dizendo o que realmente é cringe. (Se alguém se sentir ofendido, eu não dou a mínima.)
Cringe é ser machista, LGBTQIA+fóbico, racista, sexista, intolerante religioso ou ter qualquer outro tipo de preconceito. Ou seja, cringe mesmo é não ter respeito pelo próximo.
Cringe é querer obter alguma coisa passando por cima de outro.
Cringe é querer pagar de santo, mas não fazer nem um terço do que prega.
Cringe é saber que vários países ainda punem pessoas por serem gays ou coisa parecida. 69 países cometem um ato tão CRINGE.
Cringe é saber que a maior parte dos países que colonizaram a África, a Ásia e a América nunca pediram perdão pelas atrocidades que cometeram contra os povos originários destas. Se eu não contar os Estados Unidos com relação aos povos indígenas e a financiar as ditaduras na América Latina ou Israel com relação aos palestinos. (Não que isso seja motivo para odiar os habitantes desses países porque aí já é xenofobia.)
Cringe é viver no país que mais mata travestis e transexuais do mundo, segundo a Trans Murder Monitoring ("Observatório de Assassinatos Trans", em inglês).
Cringe é termos mais de meio milhão de mortes por COVID-19 quando isso poderia ter sido evitado se tivéssemos um governo realmente competente e que se preocupasse com a população ao invés de ficar procurando ideologia em tudo e inventar desculpas para não fazer o que é certo e necessário.
Cringe é saber que muita gente ainda acha que não há uma pandemia no mundo todo e não toma os mínimos cuidados para evitar contaminações, fazendo todo o tipo de aglomeração e inclusive fazendo pouco das vítimas (isso lembra alguém?).
Cringe é ser ignorante a nível de apoiar situações que só vão te ferrar. (Sim, eu estou falando de política também, mas vamos deixar isso para os próximos capítulos. Ainda, eu poderia colocar tantos exemplos que o post inteiro não daria conta de falar tudo.)
Honestamente? Existe tanta coisa cringe nesse mundo que de fato só esse post não dá conta. Mas eu acredito também que ser (muito) cringe é não ter caráter.
Lady Trotsky, dama teimosa, cansada e mau humorada nesse momento, encerra a transmissão aqui e agora.

Sobre Renata Cezimbra

Brasileira e gaúcha com os dois pés e muita imaginação na região do Prata, pois é lá que começa o universo dos Vampiros Portenhos. Onde convergem os vórtices das mais férteis referências de uma dama teimosa, que aprecia pitadas de cultura pop, referências underground e coisas do arco da velha.

Você também pode gostar:

4 comentários:

  1. Exatamente, falou tdo que penso. esse lance dessa geração de agora [maioria desinformada politicamente, inclusive] de chamar a nossa geração de vergonhosa... rapaz... vergonha eu teria se apertasse 17 na urna, se usasse máscara no queixo, se acreditasse que o comunismo vai invadir o brasil e os EUA salvaram o brasil de virar cuba nos anos 1960...
    vergonhoso mesmo é ser desinformado.
    Parabéns pelo excelente texto.
    Tschuss

    ResponderExcluir
  2. Olá! Tudo bem?

    Eu te falo que até ler a sua publicação eu não sabia o significado do termo cringe, sabia que estava sendo utilizado ultimamente nas redes sociais, mas não tinha pesquisado. Sim, há várias coisas que aconteceram e ainda acontecem que são vergonhosas. Eu acho que poderia ser evitado esse alto número de mortes, mas as autoridades na esfera federal, bem como estadual demoraram para agir e ao meu ver todos são culpados, inclusive parte da própria população que realiza aglomeração.

    ResponderExcluir
  3. Nossa, concordo totalmente com você. Eu achei essa discussão do que é "cringe" totalmente desnecessária. Inclusive, acho preocupante a futilidade e falta de ter o que fazer de boa parte dessa geração de agora. Tem tantas coisas realmente relevantes para se preocupar, começando pelo caos e desgoverno que estamos vivendo, e acho desesperador ver que a geração que é o nosso futuro focando em questões tão fúteis. Parabéns pelo texto e pelas excelentes colocações.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Concordo que é uma grande bobagem esse negócio de tudo ser cringe, como você mesma disse há muitas coisas mais importantes para prestarmos atenção.

    ResponderExcluir