terça-feira, 24 de março de 2020

[Lady Trotsky Resenha...] Inferno no Ártico - Cláudia Lemes (Março - Mês das Mulheres)

Título: Inferno no Ártico 
País: Brasil
Autor (a): Cláudia Lemes (Vulgo Mulherão da Porra, Divina Criatura, Dama do Crime Brasileira, Rainha.)
Ano: 2019 (Financiamento Coletivo - Catarse)
Classificação:



Sinopse: Assassinatos bizarros abalam a cidade de Barrow, Alasca, durante o período de dois meses de noite polar. A detetive brasileira Barbara Castelo desconfia que seu primeiro caso de homicídio tem ligações com ocultismo, e precisa superar suas diferenças com o parceiro, Bruce Darnell, além de sua fobia do escuro, para encontrar o serial killer antes que ele consiga completar sua missão macabra.


Barbara Castelo, nascida em “país tropical, abençoado por Deus e lindo por natureza”, achou que já tinha conhecido o inferno na infância, quando um acontecimento terrível lhe deixou com nictofobia, o “popular” medo do escuro.
Ela não imaginava, porém, que, anos depois e sofrendo constantemente com o ainda muito presente trauma de infância, descobriria que ele era muito mais frio do que ela poderia imaginar quando um assassino em série torna a já complicada vida na inóspita Barrow, no Alasca, pior ainda, em especial quando a noite polar faz lá sua morada por longos dois meses.
 O inferno é no Ártico e Barbara Castelo vai precisar atravessá-lo se quiser sobreviver.


Inferno no Ártico é aquele livro capaz de te prender a ele de tal forma que largar antes do final é impossível, mesmo sabendo que a Cláudia Lemes não vai nos poupar de cenas fortes, sangrentas e perturbadoras. Menos ainda vai deixar de mostrar como a humanidade pode ser podre mesmo quando está dentro da lei.
Aqui, como em Eu vejo Kate (resenha aqui), não há personagens perfeitinhos e ideais como eu sei que tantos amam. É gente estranha, complicada, muito ferrada da cabeça (para não usar palavra pior) e cheia de disposição para mostrar a que veio, mesmo seus objetivos não sendo nada nobres. Barbara, porém, e apesar de tudo, incluídos problemas com seu parceiro recém separado e tentando consertar a própria vida, tenta seu melhor e está disposta a superar até sua nictofobia para chegar ao assassino em série aterrorizando Barrow, mesmo no caminho sofrendo alguns reveses e despertando desconfianças nos “cidadãos de bem” da cidade. Esses mostrando não serem nada disso quando estão desesperados e cheios de temor por cada amanhecer que nunca parece chegar, dada a longa noite de sessenta dias que vivem uma vez por ano.
(Isso lembra a vocês um quadrinho chamado 30 dias de noite?)
Como se não bastasse o frio abaixo de zero e a escuridão que remete aos melhores filmes de terror, a polícia de Barrow ainda tem de lidar com um assassino frio, calculista e muito inteligente que sempre parece estar um passo à frente, tanto que não são raras as vezes que Barbara precisa contar mais com o instinto do que evidências críveis, pois ninguém parece achar algo que os leve a passos mais rápidos ao criminoso. Para piorar, se é que podia, Castelo ainda vai sofrer um duro golpe capaz de mudar o rumo de sua vida para sempre.
No fim, esse livro é um precioso achado do suspense brasileiro e merece ser lido com toda a apreciação que a Claúdia Lemes merece. Se procura uma leitura de qualidade Made in Brazil, Inferno no Ártico é o que você procura e a Lady Trotsky indica.



7 comentários:

  1. Oi Renata.
    Primeiro, adorei a capa do livro.
    Segundo a história me deixou super curiosa..Eu que gosto de assassinos vou amar essa leitura é um prato cheio para mim. Tem uma trama boa e a ambientação da história é ótima

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem? Gente, que tudo essa capa!!! Não conhecia o livro ainda, mas fiquei louca para ler, principalmente porque agora estou resolvi me aventurar nesses gêneros, haha. Adorei a resenha!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  3. Oi! Tudo bem?

    O livro parece ser ótimo e super instigante mesmo!! Como ainda estou iniciando nos thrillers, estou começando com uns mais "leves", mas super anotei essa dica!

    ResponderExcluir
  4. Não conhecia esse livro e apesar de não ser um gênero do qual tenho muito costume de ler, achei a proposta bem interessante, principalmente para quem é fã de cenas sangrentas haha. Pelo jeito, a autora soube como preparar um excelente cenário.

    Beijos,
    Blog PS Amo Leitura

    ResponderExcluir
  5. Oi Renata!!

    Eu não conhecia a autora, logo, também não conhecia esse livro também, eu não sou muito fã de cenas sangrentas para ser bem sincero, mas, acho incrível que você tenha encontrado esse livro e que ele retrate a qualidade que autores brasileiros possuem!!

    Beijos!
    Eita Já Li

    ResponderExcluir
  6. Não conhecia autora e muito menos que ele teve processo de publicação com financiamento coletivo. O livro tem uma capa bonita, seu contexto é interessante e se até Cesar Bravo leu e gostou, quem sou eu para dizer o contrário? Vou procurar, gosto muito de livros de thrillers com serial killers. (@yelloobow/@lunetaliteraria)

    ResponderExcluir
  7. Oii Renata

    Que show, eu tenho em ebook Infenro no Ártico e tb Eu vejo Kate. No momento busco ler coisas mais leves, essa quarentena por si só tá pesadissima e preciso relaxar, desconectar sabe? Mas sempre leio algum suspense, intercalado entre as leituras e a Claudia é uma autora que sei que preciso conferir, porque todas as resenhas que leio são sempre mega positivas. Com certeza vou conferir.

    Beijos, Ivy

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir